Conheça Coxilha Rica

HISTÓRIA

Coxilha Rica é uma região localizada nos municípios brasileiros de Lages e Capão Alto. Da área de Lages (o maior município em extensão do estado de Santa Catarina), a Coxilha Rica percorre cerca de 100 quilômetros quadrados de zona rural em uma planície situado a mais de 1.000 m acima do nível do mar. A vegetação predominante é rasteira, de gramíneas, e onde ocorrem remanescentes de floresta encontra-se a araucária. O nome “coxilha” dá-se ao fato da região ser formada por um vasto terreno ondulado. Considerada a primeira via terrestre de ligação entre o sul do Brasil e o sudeste do Brasil, o Caminho das Tropas, traçada no século XVIII, abrangia a Coxilha Rica. Passavam pela região tropeiros que levavam gado do Rio Grande do Sul a São Paulo (Sorocaba) e Sul de Minas Gerais. Os principais rios que por aqui correm são o Pelotas, Pelotinhas, Penteado, Lajeado Bonito e o Lava-Tudo.

As propriedades privadas instaladas na Coxilha Rica são principalmente fazendas destinadas à criação de gado; portanto a principal atividade econômica exercida na Coxilha Rica é a pecuária. Há séculos cria-se gado na região, que concentra a maior variedade de raças bovinas de corte do Brasil. Devido a estas fazendas e à paisagem natural, a Coxilha Rica é uma região propícia ao turismo rural. Na região também encontramos fazendas históricas, houve muitas batalhas como a Guerra dos Farrapos.

O local dispõe, ainda hoje, de mais de 100 km de corredores de taipa (muros de pedra) intactos, constituindo um patrimônio cultural, histórico e arquitetônico regional. Os corredores foram construídos por escravos (negros e indígenas) e peões, com o objetivo de evitar a dispersão dos animais conduzidos pelos tropeiros. A rota seguida pelos tropeiros ia de Sorocaba (SP) até Viamão (RS), e Lages se constituiu, ao longo de séculos, como entreposto natural. Na região ainda é comum encontrar com os taipeiros, para aprender o ofício de construção de muros e edificações, sua impressionante arte em trabalhar as pedras, saber tradicional transmitido de geração a geração. Também como, benzedeiras e benzedeiros, estes, por sua vez, guardiões dos conhecimentos tradicionais sobre saúde, religiosidade popular e plantas medicinais. E um destes caminhos é a história que segue. Após os históricos fatos da epopeia farroupilha e exauridas as batalhas pela república, muitos dos valorosos combatentes espalharam-se pelos pampas do sul deste país e alguns deles procuraram ocupação nos campos de Lages.